Hoje em dia, a grande maioria dos negócios presentes no mundo digital têm ferramentas de análise de dados instaladas nos seus websites. Uma das mais conhecidas e amplamente utilizadas é o Google Analytics. Mas não basta só instalar a ferramenta; é necessário analisar o tráfego e o comportamento dos utilizadores. Como o podemos fazer e por onde devemos começar?

Na LOBA, estamos bem cientes acerca da importância da análise correcta e do poder da interpretação de dados em contexto, pois eles permitem-nos tomar as decisões certas. Assim, em todos os nossos projetos, seguimos um processo de implementação, configuração e análise de Google Analytics.

Passemos então a uma breve explicação sobre como utilizar esta ferramenta e analisar dados com eficácia.

1. Instalação correcta do Google Analytics no nosso site: Depois de criarmos uma conta, é necessário colocar o fragmento de código no lugar certo do HTML do site e testar em tempo real se o nosso tráfego está a ser registado. É também possível instalar o Google Analytics através da ferramenta Google Tag Manager ou diretamente no Back Office do site.

2. Configuração dos elementos importantes para medir os KPI´s do nosso negócio:

· Dados -> por exemplo, recolha de dados para funcionalidades de publicidade (remarketing) ou dados de encomendas no caso de negócios e-commerce.

· Objetivos/Metas -> ações do utilizador, como por exemplo visualização do produto, adição do produto ao carrinho ou envio do formulário de contacto.

3. Associação das ferramentas externas de marketing ou outras, como por exemplo Google Ads e Google Search Console.

4. Parametrização das campanhas online: Por definição, o Google Analytics apresenta tráfego de apenas de 3 tipos – Orgânico, Direto e Referências. Caso realizemos uma campanha PPC em Social Media ou E-mail Marketing, precisamos de parametrizar corretamente as campanhas e os anúncios para que o registo dos mesmos seja feito na nossa conta Google Analytics, o que permitirá analisar a eficácia das nossas ações promocionais em vários canais.

5. Criação de filtros: São utilizados filtros para criar Visualizações especializadas que se concentram em partes importantes do tráfego do website, onde podemos excluir ou incluir os elementos desejados. Os filtros mais comuns são: exclusão do próprio tráfego por IP, filtro por domínio ou subdomínio, filtro por conteúdo do site (p.e. blogue).

6. Criação dos segmentos: Os segmentos são uma forma de especificar os dados predefinidos, facilitando o processo da análise. São criados na base das métricas e dimensões relacionadas com utilizadores, sessões e resultados.

7. Criação de dashboards (painéis de controlo): Os dashboards são uma coleção de widgets que permitem a visualização rápida dos relatórios e das várias métricas em simultâneo.

Existem muitos métodos e soluções que asseguram a recolha correcta dos dados no Google Analytics e tornam o processo de análise mais simples e rápido, mas ao mesmo tempo específico e eficiente, de forma a que possa tomar as decisões certas para o seu negócio.

Os passos apresentados são apenas uma pequena amostra dos elementos que podem e devem ser implementados em cada conta Google Analytics. Se algumas dicas lhe parecem complexas ou difíceis de aplicar, saiba que pode contar com o conhecimento e experiência dos técnicos da LOBA. Temos uma equipa de Marketing Digital pronta a ajudá-lo a entregar soluções que melhoram os resultados da sua empresa!